Dracena, Quarta - 12 de Dezembro de 2018

Abraços desarmados por Karla Fioravante

Gosto de abraços desarmados. (...)
Há lugares que visito onde as pessoas apenas ouvem meu canto, não conhecem minha história. Durante alguns minutos é como se de alguma maneira fosse criado um elo. Um ?algo? que transcende a necessidade de nomes, rótulos, estigma. Sou alguém que passou ali, acolheu o que não foi dito, entendeu sem que precisasse falar.
Atitude simples, onde fazer o bem é livre de cargas, excessos, projeções, transferências...
- Posso te dar um abraço?
Ato desarmado em um laço.
Sinto como se livremente entrasse em sua casa, e por aquele instante a alma alheia pudesse sentir a mesma leveza de um gesto nobre, em reciprocidade. Um pequeno pedido que reverbera em meu dentro. Entre, fique, e isso já será a diferença.
O belo permanece na simplicidade que só o bem proporciona...
@kafioravante
Karla Fioravante 

IMAGENS