Dracena, Terça - 14 de Agosto de 2018

Consumo de álcool e família.Cláudia Eloisa

Psicólogs Cláudia Eloisa dos Santos

VamosVamos fazer uma reflexão sobre uma droga chamada álcool, isso mesmo, álcool é uma droga.  No entanto, a maioria das pessoas não considera o álcool uma droga por ser lícito, somente considera droga as ilícitas como a maconha, cocaína, crack, etc. Essa bebida é conhecida no Brasil, desde o início da colonização, quando os portugueses chegaram e está entranhada na cultura brasileira, o hábito de beber faz parte de nossa maneira de ser social. Mas com o passar do tempo o consumo passou a ser preocupante, pois os médicos começaram a observar complicações físicas e mentais, decorrentes do uso excessivo.

Como estamos fazendo o uso dessa bebida em nossas vidas, nas reuniões sociais e familiares? É a forma social e individual de beber que colocamos em jogo, quando falamos no consumo de álcool, já que está largamente à disposição social para consumi-lo nas mais diversas formas, destiladas ou fermentadas, fortes ou fracas.

Dentro da classificação das drogas, o álcool é considerado uma droga depressora que diminui a velocidade de funcionamento do cérebro. Em doses menores o álcool causa nas pessoas sintomas como euforia, rubor facial, diminuição dos reflexos, diminuição da atenção e concentração e em doses maiores lapsos da memória, insuficiência respiratória, coma podendo levar até a morte.

                        Além desses prejuízos, o álcool também está associado a problemas sociais e vamos dar a atenção a uma instituição importantíssima em nossa sociedade: a família. O uso indevido do álcool tem sido prejudicial tanto aos cônjuges como aos filhos. 

Aocônjuge no desempenho de seu papel como esposo ou esposa, pai ou mãe e ainda como provedor da casa. Aos filhos destacamos complicações como: Síndrome Fetal Alcoólica, abuso infantil e outros na esfera social, psicológica e econômica. Algo muito preocupante que temos observado é que os adolescentes tem feito sua primeira experimentação dentro de suas casas, nas reuniões familiares regadas à bebida alcoólica, onde muitas vezes tudo é permitido e reproduzido em seus espaços sociais, em festas, boates e bares. O consumo de álcool entre os adolescentes tem em alguns casos sendo fator predisponente ao uso de outras drogas, as ilícitas.

Ressaltamos ainda que muitas vezes esse consumo é feito fora do ambiente familiar e que com o tempo e dinheiro gastos com essa prática, desfalquem as famílias em suas necessidades básicas. A embriaguez também pode acarretar situações de violência, acidentes e doenças dentro do ambiente familiar. A saúde financeira da família também pode ser prejudicada com constantes gastos com a saúde física e mental dos membros dessa família.

PortantoPortanto vale refletir o que o consumo de álcool tem causado em sua família, tem sido prejudicial ou não?

 

Claudia Eloisa dos Santos

Psicóloga – CRP 06/67918

Especialista em Saúde Mental

Especialista em Dependência Química

Formanda em Terapia de Casal e Família

Contato: (018) 9684-7182 ou 8146-1120

Presidente Prudente SP

 

 

 

 

IMAGENS