Dracena, Segunda - 30 de Março de 2020
Prefeitura volta atrás e mantém quarentena em Marília     Daniela Casale   Prefeito Daniel voltou atrás em decisão e mantém comércio fechado até o dia 7 de abril (Foto: Leonardo Moreno) A Prefeitura de Marília desistiu de reabrir o comércio e o setor de serviços, mesmo com restrições, a partir da próxima quarta-feira (1º). Nesta segunda-feira (30) o Comitê Gestor de Crise, criado pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB), cedeu à pressão de diversas entidades de saúde na cidade, que se posicionaram a favor da quarentena até o dia 7 de abril, seguindo o decreto do Governo do Estado. Na última sexta-feira (30), Daniel havia anunciado a liberação do comércio em geral, acompanhada da retomada de todas as atividades econômicas. Nota divulgada na noite de domingo (29), pela assessoria de imprensa da Prefeitura, já sinalizava uma possível desistência na reabertura antecipada. “Lembrando a todos, que nada foi decidido ou decretado pelo chefe do executivo”, dizia o comunicado. Um parecer da Procuradoria Geral do Município de Marília também recomendou pela manutenção da quarentena. “Ocorre que a determinação do Governador do Estado de São Paulo no referido decreto possui abrangência no âmbito de todos os municípios do Estado de São Paulo, sendo, portanto norma cogente de aplicação imediata. Dessa maneira não poderá o Decreto Municipal se sobrepor ao Decreto Estadual que determinou o fechamento do comércio em geral com as ressalvas expressas no mesmo”, diz o documento. “Dessa forma entendemos que o contido no Decreto Estadual que determinou quarentena no Estado de São Paulo, deve ser respeitado por todos os Municípios, devendo ser mantido o fechamento do comércio em geral com as exceções expressas no mesmo, a fim de conter a proliferação do novo corona vírus no país”, diz a procuradoria local. De acordo com Daniel Alonso, medidas sobre isenção de impostos para ajudar empresários da cidade, serão discutidas e definidas até a próxima quarta-feira (1º). O transporte coletivo permanece igual, com permissão de uso para trabalhadores da saúde e serviços gerais.   Marília Notícias-Foto Leonardo Moreno
Com 22 leitos e UTis para 400 mil habitantes ,Amnap cobra auxílio do Estado para combate ao coronavírus   Assessoria Imprensa Preocupada com a estrutura de saúde disponível na região para o atendimento as vítimas infectadas com a Covid-19, o novo coronavírus, a Amnap (Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista), reuniu 12 dos 30 prefeitos que compõe a entidade, nesta sexta-feira (27), em Tupã, para discutir e estabelecer medidas igualitárias em todos os municípios no enfrentamento à pandemia. Na reunião extraordinária os gestores municipais assinaram manifesto direcionado ao governador do estado de São Paulo, João Dória. No documento, os Chefes do Executivo pedem a flexibilização e/ou abertura dos estabelecimentos comerciais e declaram que os municípios não estão recebendo recursos adicionais para fazer frente ao custo com insumos necessários para o enfrentamento da crise com o coronavírus, solicitando envio imediato de álcool em gel e luvas. No manifesto os prefeitos demonstraram ainda indignação com a diferença de recursos oferecidos pelo Governo do Estado para a Capital Paulista em comparação com os disponibilizados aos municípios do interior, questionando a razão da diferença. No interior é concedido R$ 4, por habitante, enquanto em São Paulo o recurso é de R$ 12, por pessoa. Os prefeitos reivindicam que sejam fornecidos no mínimo 50 respiradores para o atendimento dos municípios da Alta Paulista, além da instalação de 50 leitos adicionais completos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Levantamento aponta que existem apenas 22 leitos de UTIs e 50 respiradores disponíveis para cerca de 400 mil habitantes. Os gestores pedem também a prorrogação do pagamento de precatórios por um ano e “que se diligencie com as autoridades federais providencias para a prorrogação dos prazos eleitorais”. Além disso, reivindicam a instalação de hospital de campanha para atendimento das vítimas do novo vírus. O documento menciona ainda que sejam fornecidas cestas básicas sociais que incluam material de higiene em número suficiente para o atendimento das necessidades urgentes da população, ou equivalente em recurso financeiro para providenciar ajuda assistencial em situação de escassez. O prefeito de Adamantina, Marcio Cardim, disse durante a reunião que todas as medidas de higiene recomendadas por autoridades de saúde foram tomadas. Segundo o prefeito, as mesas foram colocadas distantes e que, além dos prefeitos, o secretário de saúde de Tupã, o médico César Augusto Coelho Donadell, participou do encontro. O documento será encaminhado ao governador João Dório e ao secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi. O prefeito de Osvaldo Cruz e presidente da Amnap será o encarregado de encaminhar o documento para as autoridades.   PREFEITOS QUE ASSINARAM O MANIFESTO: Caio Kani Aoqui, Tupã Carlos Freire, Iacri José Ferreira de Oliveira Neto, RinópolisGilmar Martim Martins, Parapuã Valdir Dantas de Figueiredo, MariápolisMarcio Cardim, Adamantina Manoel Ironides Rosa, BastosEdmar Carlos Mazucato, Osvaldo Cruz Ricardo Rived Garcia, SagresAna Zoner Leal Serafim, Arco Íris Wilson Froio, Flórida PaulistaMaurílei da Silva, Pracinha (Com informações extraídas do site LIFE FM)-Portalregional
Luto: Morre médico em Marilia erry teve problemas respiratórios; ele estava internado na Santa Casa de Marília (Foto: Arquivo/MN) Foi sepultado na manhã deste sábado (28), na cidade de Bariri (177 quilômetros de distância de Marília), o médico Merry Nicolas Martinez Y Ramos, de 83 anos. Ele exerceu a profissão em Marília por quase três décadas, sendo inclusive reconhecido pelo Legislativo como cidadão local. Clínico geral e cirurgião, Merry Martinez foi diretor do Hospital São Francisco de Marília por três vezes. O trabalho mais recente na saúde pública foi no Pronto Atendimento (PA) da zona Sul. O médico faleceu no final da tarde desta sexta-feira (27) na Santa Casa de Marília. Merry teve sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Ele estava acamado há cerca de seis meses e não chegou a ser internado. Foi socorrido e faleceu logo após dar entrada pelo Pronto Saúde do hospital. Nascido em Arequipa – no Peru – o médico era casado com Lourdes Aparecida Mazzini Martínez e tinha dois filhos – Merry Mazzini Martinez e Samantha Martinez. Deixa também três netos e foi velado e sepultado em Bariri, cidade natal da esposa, onde a família já morou. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR), o cirurgião fez pós-graduação na Fundação Carlos Chagas, da Santa Casa do Rio de Janeiro e no Hospital de Clínicas da Fundação Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro (FEMCRJ). Merry foi diretor da Santa Casa de Bariri e liderança política na cidade da região. O velório aconteceu no salão nobre da Câmara daquela cidade e o sepultamento, pela manhã, no cemitério local. Fonte Marília Notícias
Dois homens são encontrados mortos e Polícia Civil investiga o caso   Folha Regional Os corpos de dois homens foram encontrados neste sábado (28), em Presidente Prudente  e Rancharia, em um intervalo de cinco horas. Os dois casos são investigados pela Polícia Civil. O primeiro caso foi em Rancharia, onde, segundo o delegado da Polícia Civil Arlindo Ribeiro de Sales, o corpo de um homem foi encontrado, por volta das 7h, na antiga Estação Rodoviária da cidade. O rapaz já teve passagens pela polícia e então passou a morar na rua. Segundo o delegado, a suspeita inicial da Polícia Civil é de que a morte tenha sido em decorrência de um desentendimento com outros moradores de rua, principalmente, em razão de droga. A polícia vai aguardar os laudos do Instituto Médico Legal (IML) para avaliar, com precisão, o que de fato ocorreu. Aparentemente, o rapaz foi morto com pedradas na cabeça, o que aumenta ainda mais a suspeita de desentendimento entre moradores de rua. Ele portava documentos, o que facilitou a identificação pelos policiais. Já no caso de Presidente Prudente, segundo a Polícia Militar, o corpo de um homem foi encontrado nas proximidades do Balneário da Amizade, por volta das 12h, enrolado em uma espécie de cobertor. A polícia informou que ele foi encontrado em frente a um rancho. A Polícia Civil e a Polícia Científica compareceram ao local para levantar informações capazes de ajudar nas investigações sobre o caso. (G1 Presidente Prudente)
Prefeitura de Marília fala de retomada do comércio e serviços no dia 1º de abril O despreparo dos integrantes do poder público municipal para elucidar a questão sobre o possível conflito entre decretos era visível em entrevista coletiva (Foto: Leonardo Moreno) O comércio de Marília e o setor de serviços devem reabrir, com restrições, a partir da próxima quarta-feira (1º). O anúncio foi feito pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB) ao final de uma reunião na Prefeitura durante a tarde desta sexta-feira (27), em que foi criado um Comitê Gestor de Crise pelo município em parceria com a sociedade civil. Com a confirmação da liberação, há risco, porém, de novo impasse, já que segue em vigência até dia 7 de abril o decreto de autoria do Governo do Estado, em que justamente a reabertura do comércio e diversas outras atividades estão proibidas até a data estipulada. Em Marília, a liberação do comércio em geral será acompanhada da retomada de todas as atividades econômicas, incluindo a circulação dos ônibus do transporte coletivo urbano. O novo decreto do município, no entanto, deverá limitar à metade a capacidade dos coletivos, bem como dos espaços comerciais e de serviços, para evitar aglomerações e minimizar o risco de transmissão do novo coronavírus. Nem o prefeito Daniel Alonso, nem outros integrantes do comitê souberam explicar com clareza se os empresários que retomarem as atividades, a partir do dia 1º de abril, poderão estar infringindo o decreto estadual e sujeitos a penalidades. O despreparo dos integrantes do comitê para elucidar a questão era visível em entrevista coletiva. A reunião, no Paço Municipal, teve presença de autoridades políticas, empresários, líderes religiosos, órgãos de segurança como a Polícia Militar, profissionais da saúde, representantes de sindicatos, associações e diversas outras entidades. Nova reunião sobre o assunto deve acontecer na manhã de segunda-feira (30). Possível conflito com o Estado Alonso informou também que recebeu um telefonema do secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que se reuniu com o governador João Doria e tomou conhecimento das deliberações do comitê de Marília. “O secretário nos tranquilizou e disse que o Estado vai fazer o que for necessário para que não haja conflitos de decretos. Caso seja necessário, ele pedirá para a Procuradoria Geral do Estado fazer uma carta, dando-nos essa concessão para que possamos implantar em Marília as medidas que foram deliberadas pelo comitê de enfrentamento ao novo coronavírus, para que não haja conflito com o decreto de quarentena do Estado. Isto nos deixou mais tranquilos para que as atividades voltem a funcionar de forma gradativa, de acordo com o que for definido por esse comitê”, disse o chefe do Executivo municipal. A reportagem do Marília Notícia conversou por meio de mensagens com Vinholi. O secretário foi questionado sobre o evidente conflito entre decretos e quais os marilienses deveriam seguir, de acordo com a lei. “Já dialoguei com o prefeito, subsidiando ele com informações da legislação nacional e do Estado. Estamos construindo em conjunto as ações dentro das particularidades de Marília, respeitando as normas de quarentena estadual”, respondeu o político, saindo pela tangente. Em nota, o governo estadual se posicionou sobre o assunto. “O Governo de São Paulo reforça a orientação para que as Prefeituras trabalhem em harmonia com as forças de segurança do Estado e sigam à risca as determinações publicadas no Diário Oficial do Estado, preservando a prestação de serviços essenciais à população. O Decreto 64.881 da Quarentena prevalece sobre qualquer iniciativa ou medida isolada que o contrarie. É importante a uniformidade de ações para que toda a sociedade fique protegida”. Regras De acordo com a Prefeitura, a partir de segunda-feira (30) ficam autorizadas as seguintes atividades por prazo indeterminado: agências e correspondentes bancários, lotéricas e cooperativas de crédito, somente para atendimento daqueles que prioritariamente necessitem de serviços bancários. Já partir de quarta-feira (1º), ficam autorizadas pelo município as atividades e os serviços privados não essenciais, como academias, shoppings centers, bares, restaurantes e comércio em geral. Também são permitidas atividades do setor hoteleiro, atividades da construção civil, prestação de serviços em geral, centros de distribuição e depósitos, além dos serviços autônomos, domésticos e os prestados por profissionais liberais. O plano de retomada gradual das atividades anunciado, define regras para estabelecimentos com permissão para atendimento ao público e entrada de pessoas. Deve-se respeitar o limite de entrada de 50% da capacidade de público do local, podendo este estabelecer regras mais restritivas. O controle de acesso e marcação de lugares reservados aos clientes, devem respeitar as boas práticas e a distância mínima de 1,5m entre cada pessoa, bem como o controle da área externa do estabelecimento. As empresas devem promover o afastamento de empregados pertencentes ao grupo de risco (pessoas acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos e gestantes) sem nenhum prejuízo de salários. Seguindo orientação da Prefeitura, deve-se priorizar a manutenção de trabalho remoto para os setores administrativos. Continuidade de aplicação das medidas relacionadas à saúde do trabalho é outra exigência, a fim de evitar a transmissão do Covid-19 no ambiente de trabalho e no atendimento ao público. Sobre a utilização de veículos de fretamento para transporte de trabalhadores, a ocupação de cada veículo fica limitada a 50% da capacidade de passageiros sentados. Permanecem suspensas a presença de pessoas acima de 60 anos no transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal de passageiros, áreas comerciais e áreas que possuam aglomerações. “A nossa recomendação, o que é preconizado pelas autoridades sanitárias, é que as pessoas utilizem o isolamento social para reduzir o risco de contaminação com o vírus. Pelo que temos sido orientados, uma hora ou outra, praticamente toda a população vai ter contato com coronavírus. O que estamos tentando evitar é que isso aconteça com todos ao mesmo tempo” , finalizou Daniel. Fonte Marília Noticias. Foto Leonardo Moreno