Dracena, Quarta - 22 de Janeiro de 2020
Moradores de Presidente Prudente e Rancharia estão no Big Brother Brasil     Por: Da Redação | Com informações do G1 19 de janeiro de 2020 | 15h02 atualizado: 21 de janeiro de 2020 | 10h25  A ginecologista e obstetra Marcela Mc Gowan, de Rancharia, e o modelo Guilherme Napolitano, de Presidente Prudente, estão no BBB20 (Reprodução/Rede Globo). Dois representantes da região estão no Big Brother Brasil (BBB). O reality show chega à sua 20ª edição. A nova temporada tem sua estreia na próxima terça-feira (21) e neste sábado (18) foram revelados os participantes. Dois deles são da região: o modelo Guilherme Napolitano, de 28 anos, de Presidente Prudente, e a médica ginecologista e obstetra Marcela Mc Gowan, de 31, de Rancharia. Eles disputarão as provas na casa mais vigiada do Brasil. O vencedor do BBB20 leva o prêmio de R$ 1,5 milhão. Após a publicidade, conheça mais sobre os dois candidatos da região.       Guilherme tem irmão gêmeo: ambos foram adotados quando pequenos O modelo Guilherme Napolitano nasceu em Presidente Prudente e mora na capital de São Paulo. Tem um irmão gêmeo, mas garante que os dois são muito diferentes. Eles foram adotados quando pequenos e, por isso, ele se considera a pessoa mais sortuda do mundo. Para se aperfeiçoar no inglês, morou durante seis meses na Austrália e classifica essa experiência como a melhor que já teve na vida. Antes de atuar como modelo, já atuou como jornalista, sua formação acadêmica, trabalhou em lojas e concluiu um curso de comissário de bordo. (Reprodução/Rede Globo). Com personalidade tranquila, Guilherme conta que tem facilidade no convívio com diferentes pessoas e que preza sempre pelo respeito. Não gosta de brigas, faz o tipo apaziguador e diz que o máximo que pode fazer em uma discussão é aumentar o tom de voz. Traz do tempo em que trabalhou em lojas o lado competitivo e comunicativo, que também fazem parte da estratégia que quer usar no jogo. Adora viajar e é apaixonado por música eletrônica. Chama atenção quando diz que geralmente não bebe em festas. “Sei me divertir, mesmo sem álcool”, explica. Solteiro, não descarta envolvimentos na casa (saiba mais sobre o Guilherme). Marcela diz que foi criada como princesa e isso sempre gerou inquietação A ginecologista e obstetra Marcela Mc Gowan nasceu em Rancharia e mudou-se para Presidente Prudente para cursar Medicina. Atualmente mora na capital do estado com o irmão. Trabalha com sexualidade feminina, ginecologia natural e parto humanizado. Diz que foi criada para ser uma princesa, mas que isso sempre gerou nela uma inquietação. Hoje, está em um relacionamento aberto. (Reprodução/Rede Globo). Marcela se considera uma pessoa livre e com a autoestima elevada. A ideia de um “Brasil careta” a preocupa. Diz que tem um jeito doce, mas que aprendeu a ser assertiva em suas opiniões. Não tolera machismo. Ama dançar, principalmente forró e black music, e busca fazer coisas que dão a ela algum prazer, o que considera de grande importância. Enxerga o Big Brother Brasil como um laboratório e está se preparando para analisar bem o jogo e entender o universo dos confinados. “Quero entender a loucura do game. Vou entrar porque queria fazer algo muito louco na minha vida”. E, também, para jogar: “Vou para protagonizar”, anuncia. Conta, ainda, que quem pretende se aproximar dela com interesse vai perder a viagem, já que não gosta de falsidade Fonte Sigamais.
Sobe para 21 o número de casos suspeitos de intoxicação por cerveja     Publicado em 20/01/2020 - 19:20 Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil  Brasília A Secretaria de Saúde de Minas Gerais confirmou nesta segunda-feira (20) que já foram notificados 21 casos suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol – 19 homens e duas mulheres. Segundo a secrearia, quatro casos tiveram a intoxicação confirmada e 17 estão sob investigação. Até agora, quatro pessoas morreram. Três dessas mortes estão entre os 17 casos sob investigação. Uma das mortes, de um homem de Juiz de Fora, falecido em 7 de janeiro, teve a contaminação confirmada. As outras três mortes estão sob investigação. A ingestão de dietilenoglicol pode provocar a síndrome nefroneural e levar a insuficiência renal aguda e alterações neurológicas, como paralisia facial, embaçamento ou perda da visão, entre outros sintomas. O dietilenoglicol estava presente em cervejas produzidas pela cervejaria mineira Backer e consumidas por essas pessoas. O uso do monoetilenoglicol é normal no processo de fabricação. A substância é usada para resfriamento, mas a cervejaria afirma que não usa o dietilenoglicol em seu processo produtivo. Em todo caso, o monoetilenoglicol não deve entrar em contato com o produto, o que acabou ocorrendo. Inicialmente, as duas substâncias foram encontradas na marca Belorizontina, que é vendida como Capixaba no Espírito Santo. No entanto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento confirmou a presença de substâncias tóxicas em outras cervejas produzidas pela Backer: Capitão Senra, Pele Vermelha, Fargo 46, Backer Pilsen, Brown e Backer D2. Parentes depõem A Polícia Civil de Minas Gerais colheu depoimentos de parentes de pessoas intoxicadas. Três testemunhas têm parentesco com pessoas hospitalizadas e uma é parente de uma falecida. O delegado Flávio Grossi, que preside o inquérito, encaminhou à Justiça, o pedido para a exumação do corpo da mulher que teria sido a primeira vítima da intoxicação. Ela morreu em 28 de dezembro, ou seja, antes da detecção da substância nas cervejas. A polícia voltou hoje à fábrica da Backer, em Belo Horizonte, para tirar dúvidas sobre o processo de produção da cerveja. Os agentes levaram mais amostras para análise. “Insta ressaltar que a empresa cooperou com os trabalhos, como tem sido desde o início das investigações”, diz nota divulgada pela polícia. A empresa que fornece monoetilenoglicol para a Backer também foi procurada, e amostras da substância foram recolhidas.
Freis Haroldo e Anderson integram a Paróquia Nossa Senhora Aparecida Freis Haroldo e Anderson integram a Paróquia Nossa Senhora Aparecida   Os freis Haroldo Beneti e Anderson Oliveira já estão trabalhando na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Dracena, vindos de Cândido Mota e Penápolis, respectivamente. Beneti celebrou sua primeira missa no dia 9 na Igreja Perpétuo Socorro. Oliveira chegou no último domingo e presidiu a missa das 19h30 na Igreja Matriz. Eles se juntam ao frei Aírton Grigoleto e Clóvis Barbosa. A posse dos novos religiosos e do pároco frei Aírton será realizada na missa de 31 de janeiro, às 19h30, com a presença do bispo Luiz Antonio Cipolini.   Pascom   Freis Haroldo e Anderson integram a Paróquia Nossa Senhora Aparecida   Os freis Haroldo Beneti e Anderson Oliveira já estão trabalhando na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Dracena, vindos de Cândido Mota e Penápolis, respectivamente. Beneti celebrou sua primeira missa no dia 9 na Igreja Perpétuo Socorro. Oliveira chegou no último domingo e presidiu a missa das 19h30 na Igreja Matriz. Eles se juntam ao frei Aírton Grigoleto e Clóvis Barbosa. A posse dos novos religiosos e do pároco frei Aírton será realizada na missa de 31 de janeiro, às 19h30, com a presença do bispo Luiz Antonio Cipolini.   Pascom   Freis Haroldo e Anderson integram a Paróquia Nossa Senhora Aparecida   Os freis Haroldo Beneti e Anderson Oliveira já estão trabalhando na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Dracena, vindos de Cândido Mota e Penápolis, respectivamente. Beneti celebrou sua primeira missa no dia 9 na Igreja Perpétuo Socorro. Oliveira chegou no último domingo e presidiu a missa das 19h30 na Igreja Matriz. Eles se juntam ao frei Aírton Grigoleto e Clóvis Barbosa. A posse dos novos religiosos e do pároco frei Aírton será realizada na missa de 31 de janeiro, às 19h30, com a presença do bispo Luiz Antonio Cipolini.   Pascom   Freis Haroldo e Anderson integram a Paróquia Nossa Senhora Aparecida   Os freis Haroldo Beneti e Anderson Oliveira já estão trabalhando na Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Dracena, vindos de Cândido Mota e Penápolis, respectivamente. Beneti celebrou sua primeira missa no dia 9 na Igreja Perpétuo Socorro. Oliveira chegou no último domingo e presidiu a missa das 19h30 na Igreja Matriz. Eles se juntam ao frei Aírton Grigoleto e Clóvis Barbosa. A posse dos novos religiosos e do pároco frei Aírton será realizada na missa de 31 de janeiro, às 19h30, com a presença do bispo Luiz Antonio Cipolini.   Pascom    
Mulher acha que marido morreu,oferece recompensa e descobre ele na praia com outra. Tido como desaparecido, homem é flagrado na praia (Divulgação/Investigador Marcondes).   G1 Santos e Região Após divulgar nas redes sociais e em sites de notícia o desaparecimento do marido desde o dia 7 de janeiro, uma professora, de 35 anos, registrou boletim de ocorrência e contratou um investigador com medo de que algo tivesse acontecido com o companheiro. Depois de ver que um radar flagrou a placa do carro dele em São Vicente, no litoral paulista, o empresário foi encontrado na praia com outras duas mulheres. "Achamos que ele estava morto ou que tinha acontecido alguma coisa, já que ele nunca tinha sumido antes assim. Foi a primeira vez. Registrei boletim de ocorrência no dia 9. Tomei todos os procedimentos legais. Eu e os familiares estávamos desesperados", conta a professora. Preocupada, a família chegou também a divulgar a recompensa de R$ 2 mil para quem o encontrasse. O casal estava juntos há sete anos e morava na Zona Leste de São Paulo. Após uma semana do desaparecimento, ela resolveu contratar um investigador particular. Acreditando que havia ocorrido o pior, a mulher chegou a pedir que páginas de notícias publicassem o desaparecimento. "Até que o investigador identificou que o último radar que pegou ele foi no dia 7, na praia de São Vicente, e foi até lá. Descobrindo a traição", diz. Preocupada, família divulgou desaparecimento oferecendo recompensa antes de descobrir traição de homem (Reprodução).  "Agora ele vai ser ex né, porque eu estou solteira. Ele morreu pra mim e nunca mais quero ver esse homem. A mãe, pai e irmãos estavam desesperados. Era melhor ele ter largado, era mais bonito. Agora estou solteira, vou mudar a fechadura de casa e fazer um boletim de ocorrência. E ele que vá atrás de qualquer coisa e converse com o meu advogado", finaliza a mulher. O boletim de ocorrência pelo desaparecimento do homem havia sido registrado no 62º Distrito Policial Ermelino Matarazzo, no dia 9 de janeiro, e o caso já estava sendo investigado pela Polícia Civil.    Radares ajudaram a localizá-lo Segundo o detetive Marcondes, ele foi contratado após sete dias do desaparecimento do homem. Ao encontrá-lo, a professora explicou o ocorrido e mostrou o boletim de ocorrência. Ao sair do trabalho, o marido teria mandado uma mensagem para mulher avisando que estava voltando para casa, mas nunca chegou. Quando iniciou as investigações, Marcondes viu que o radar inteligente apontava que o marido da cliente havia descido a Imigrantes, em direção ao litoral, em São Vicente. Com apoio da Polícia Civil, o detetive rodou a cidade, sendo informado por um dos policiais que o veículo havia sido encontrado. "Quando fui até o local apontado pelo policial se tratava do veículo, estava trancado, aparentemente estacionado corretamente. Então eu a avisei e ela autorizou contratar o chaveiro já que o carro estava cheirando muito mal e até pensei que o corpo dele poderia estar no porta-malas do automóvel", relata. Após captar as imagens de câmeras de monitoramento do edifício de frente, mostrando o registro da ocorrência de desaparecimento, o investigador viu que ele saía do veículo com uma mulher do lado e, da porta de trás, saía outro casal. Desde o dia 7, ninguém havia retornado ao carro. "Foi assim que acionamos o chaveiro e vimos várias mochilas e roupas femininas, documentos de outras mulheres. Em seguida, achei que ele estava morto e dei continuidade na investigação. Imprimimos cerca de 300 panfletos e colamos nos quiosques e nos postes nas ruas. Depois, a PM afirmou que o Águia passou pelo local e localizou três moças e um rapaz em um local isolado na praia, foi quando eu o achei e falei que a casa dele tinha caído. Nessa hora, a esposa já estava lá", finaliza. (Fonte: G1). Sigmais. Tido como desaparecido, homem é flagrado na praia (Divulgação/Investigador Marcondes). 
Cena de companheirismo em Iacanga:Cão passa a noite à espera de dono internado no hospital.   Dono de cachorro que o esperou na porta do hospital se emociona: 'Acostumou comigo' — Foto: Arquivo Pessoal/Sérgio Mattos   A cena de companheirismo que encantou os moradores de Iacanga (SP) é resultado de uma amizade de longa data. Pitoco, como é chamado, passou a noite na porta do hospital onde o dono precisou ser internado, nesta quarta-feira (8). O cão pertence ao morador Nelson Francisco Cardoso. Ao G1, ele contou que Pitoco é seu amigo há anos e não se desgrudam mais.   "Eu e o Pitoco estamos juntos faz tempo. Conheci ele em uma carroça de verduras pela rua. Desde então, ele não me larga mais", comenta.   Após o susto, o idoso foi liberado e se recupera. "Apareceu um ferida no meu braço, estou tratando com antibióticos e está tudo bem",O motorista da ambulância da qual Nelson foi resgatado disse que assumiu o plantão na manhã de quarta-feira (8) e foi avisado por outro plantonista que o cachorro estava no local desde o dia anterior, esperando o dono receber alta. "Ele estava com a pressão alta e, até a hora que eu saí de lá, ainda não tinha abaixado a pressão e o cachorro ainda estava lá”, lembra Sérgio. De acordo com o motorista, o cachorro chegou a entrar correndo no hospital e teve que ser retirado pelos funcionários. Quando o motorista chegou pela manhã, ele decidiu ir buscar água e ração para o bichinho no almoxarifado da prefeitura. G1   “Eu fiquei com dó. Ele estava até agora lá, sempre na porta”, completa Sérgio.   O motorista de ambulância Sérgio da Matta afirmou que Nelson está sempre pelas proximidades do hospital. "Até onde sabemos, ele tem casa, mas vive andando pelas redondezas do hospital. Ele está sempre com o Pitoco", ressalta. A enfermeira que estava presente no hospital, Cinthia Caldas, contou ao G1 que outros enfermeiros também admiraram a situação em frente ao hospital.   "Ficamos olhando o cachorro correr atrás da ambulância por causa do dono. Depois ele ficou a noite toda em frente ao local esperando ele ter alta", comenta.     Espera     O motorista da ambulância da qual Nelson foi resgatado disse que assumiu o plantão na manhã de quarta-feira (8) e foi avisado por outro plantonista que o cachorro estava no local desde o dia anterior, esperando o dono receber alta. "Ele estava com a pressão alta e, até a hora que eu saí de lá, ainda não tinha abaixado a pressão e o cachorro ainda estava lá”, lembra Sérgio. De acordo com o motorista, o cachorro chegou a entrar correndo no hospital e teve que ser retirado pelos funcionários. Quando o motorista chegou pela manhã, ele decidiu ir buscar água e ração para o bichinho no almoxarifado da prefeitura.   “Eu fiquei com dó. Ele estava até agora lá, sempre na porta”, completa Sérgio.
Bolsonaro sanciona lei que institui carteira nacional do autista     Publicado em 08/01/2020 - 21:34 Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil*  Brasília O presidente Jair Bolsonaro sancionou hoje (8) a lei que institui a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, de expedição gratuita. Com o documento, essa população passa a ter prioridade de atendimento em serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.  O Projeto de Lei (PL) 2.573/2019, que criou a carteira, foi aprovado pelo Congresso Nacional no dia 11 de dezembro do ano passado. A proposta foi apresentada pela deputada federal Rejane Dias (PT-PI) e alterou dispositivos da Lei 12.764, de 2012, que instituiu a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.  O PL ficou conhecido como Lei Romeo Mion, que é portador de autismo e filho do apresentador de TV Marcos Mion, um dos principais entusiastas da medida. Em postagem divulgada no Twitter  para informar a sanção do projeto, o presidente Jair Bolsonaro aparece em foto ao lado do apresentador e da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.  "Sancionada hoje a Lei 13.977 (Romeo Mion), que cria Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). A referida carteira é gratuita e garante prioridade nas áreas de saúde, educação e assistência social", escreveu Bolsonaro. A sanção deverá ser publicada na edição desta quinta-feira (9) do Diário Oficial da União. Jair M. Bolsonaro   ?@jairbolsonaro     LEI ROMEO MION/Espectro Autista- Sancionada hoje a Lei 13.977 (Romeo Mion), que cria Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). A referida carteira é gratuita e garante prioridade nas áreas de saúde, educação e assistência social.   A carteira será expedida pelos órgãos responsáveis pela execução da política de proteção dos direitos da pessoa com transtorno do espectro autista dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, mediante requerimento, acompanhado e relatório médico, com indicação do código da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID). O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma disfunção neurológica cujos sintomas englobam diferentes características como a dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem, a dificuldade de formar o raciocínio lógico, a dificuldade de socialização, além de prejuízos a respeito do desenvolvimento de comportamentos restritivos e repetitivos. Vetos Jair Bolsonaro decidiu vetar dois pontos do PL aprovado no Congresso. Um deles é o dispositivo que obrigava os cinemas a reservar uma sessão mensal destinada a pessoas com transtorno do espectro autista, devendo a sala de exibição oferecer os recursos de acessibilidade necessários. Na justificativa para o veto, o presidente argumentou que o trecho contrariava o interesse público ao tratar sobre obrigações que já estão previstas em outras legislações. "Ao determinar que os estabelecimentos de cinema sejam obrigados a reservar uma sessão mensal destinada a pessoas com o transtorno do espectro autista, contraria-se o interesse público ao disciplinar matéria análoga ao da Medida Provisória nª 197/2019, a qual dispõe que as salas de cinema terão mais um ano para se adequar à Lei Brasileira de Inclusão (Lei nº 13.146/2015), a fim de oferecer a acessibilidade para as pessoas com deficiência visual e auditiva", informou o Palácio do Planalto, em nota distribuída à imprensa.  Também foi vetado o trecho que dava prazo de 180 dias para a regulamentação da norma pelo Poder Executivo, estados e municípios. A Presidência da República considerou, nesse caso, que a lei violava o princípio da separação dos Poderes, já que a regulamentação de leis é competência privativa do Executivo.  *Com informações da Agência Senado