Dracena, Domingo - 16 de Fevereiro de 2020
Cabeleireiro de Osvaldo Cruz participa do reality na Record TV O  cabeleireiro Rafael Wagner, de Osvaldo Cruz, é um dos participantes do reality Hair, que estrou nesta sexta-feira (14) na Record TV. Dez cabeleireiros  participam de provas e ao final o vencedor leva o título de melhor cabeleireiro do Brasil, prêmio R$ 30 mil e toda visibilidade possível com o programa. Conheça os competidores: O primeiro desafio proposto aos dez cabeleireiros foi apresentar penteados inspirados nas divas do pop, como Anitta, Iza, Lady Gaga, Katy Perry e Taylor Swift. Na hora de avaliar os resultados, os jurados técnicos não pouparam críticas e elogios.  Rafael teve que produzir um penteado inspirado em Lady Gaga, sobreviveu ao programa de estreia e garantiu sua permanência na competição. Veja como foi: Com formato criado pela BBC e produção da Endemol Shine Brasil, Hair é um reality de cabelo que combina talento, criatividade e técnica.    O programa Sob o comando da apresentadora do Hoje em Dia, Ana Hickmann, e direção de Allê Gonçalves, o quadro exibido às sextas-feiras conta com a participação especial do cabeleireiro das celebridades Celso Kamura, que tem a missão de julgar o desempenho dos 10 participantes. A cada episódio, os cabeleireiros são desafiados a mostrar que realmente são especialistas em cortes e penteados para continuar na disputa pelo prêmio de R$ 30 mil. Ao longo da competição, Kamura traz para o estúdio toda a sua bagagem para descobrir novos talentos e ainda contará, a cada episódio, com a ajuda de uma celebridade para julgar o melhor penteado. O quadro continua logo após o programa Hoje em Dia, durante uma live com o eliminado, que vai revelar os desafios envolvidos na disputa e comentar os momentos mais emocionantes de cada participante. Na grande final, o público poderá decidir em votação quem será o finalista do programa.  O cabeleireiro de Osvaldo Cruz, Rafael Wagner, no programa Hoje em Dia, onde participa do reality Hair (Divulgação).  Fontte Sigamais Adamantina      
Luto:Morre aos 84 anos,o jurista Damásio de Jesus G1 Morreu na madrugada desta quinta-feira (13) em Bauru (SP), aos 84 anos, o professor e jurista Damásio Evangelista de Jesus. A causa da morte não foi informada. Nascido em Cerquilho, Damásio era um dos maiores especialistas em Direito Penal do país, tendo recebido o título de doutor honoris causa pela Universidade de Estudos de Salerno, na Itália. Ele escreveu mais de 20 livros e fundou, na década de 70, um complexo educacional para estudantes de direito que leva o seu nome. O Prof. Damásio deixa filhos, netos, bisnetos e sua família estendida: os milhares de advogados e juristas que inspirados por sua visão e conhecimento contribuem diariamente para o nosso país. Seu espírito segue vivo em cada profissional que ele inspirou e ensinou nos últimos 50 anos. Seguimos honrando seu legado diariamente com a visão e vontade de trabalhar que ele sempre demonstrou. Nossas sinceras condolências e sentimentos aos amigos e familiares nesse momento de luto. Damásio Educacional@cursodamasio     É com grande pesar que comunicamos o falecimento do professor Damásio de Jesus.O Prof. Damásio deixa filhos, netos, bisnetos e sua família estendida: os milhares de advogados e juristas que inspirados por sua visão e conhecimento contribuem diariamente para o nosso país.   643 9:31 AM - Feb 13, 2020 Twitter Ads info and privacy   126 people are talking about this   O professor está sendo velado no Centro Velatório Terra Branca, e o sepultamento foi às 16h, no cemitério Ypê.   Repercussão   A morte de Damásio jurista causou repercussão no meio jurídico, onde muitos se referiam a ele como "mestre. "Manifesto pesar pelo falecimento do professor Damásio de Jesus. Fundador do Complexo de Ensino que leva o seu nome, Damásio deixa um enorme legado para a história do Direito Penal brasileiro, que certamente merecerá revisitação pelas gerações futuras", escreveu o ministro do STF Gilmar Mendes.   Hoje o universo jurídico perdeu um dos maiores penalistas da história de nosso país e uma referência internacional. Professor Damásio de Jesus. O professor de tantos professores, com lições precisas e profundas de direito e de vida. Corajoso, determinado, incansável trabalhador, severo, mas sempre leal. Autêntico e sincero, optava pela verdade no lugar da bajulação. Justo e verdadeiro", escreveu o procurador Fernando Capez, do Ministério Público de São Paulo. Em 2016, quando Capez era presidente da Assembleia Legislativa de SP, Damásio foi homenageado com o Colar de Honra ao Mérito Legislativo, a mais alta comenda da instituição.               --:--/--:--          
Novos princípios e propósito da Coimma reafirmam seu posicionamento de mercado Novos princípios e propósito da Coimma reafirmam seu posicionamento de mercad Como reflexo do seu reposicionamento de mercado, ao longo de 2019 a Coimma passou por algumas mudanças na estrutura organizacional e de gestão. E para fechar o ano em grande estilo, concretizando essa caminhada de evolução, a empresa realizou, em dezembro, um evento em que apresentou seus novos princípios e propósito. Movida pelas necessidades dos clientes, norteada pela cultura da inovação, por meio da criação de soluções disruptivas que trazem soluções efetivas para o pecuarista, e sempre atenta às mudanças do setor, a Coimma mostrou como está se preparando para superar os desafios de um mercado cada vez mais exigente e dinâmico. Segundo Paulo Dancieri Filho, CEO da empresa: “A importância da declaração do nosso propósito e princípios tem a ver com credibilidade, com cada um do nosso time acreditar e colocar no seu DNA um sentido único para o trabalho.Consolidamos isso em algumas palavras, muito bem pensadas, para que possamos fortalecer ainda mais a nossa visão de futuro, olhando os desafios que a pecuária brasileira apresenta”. Nesse sentindo, o resultado final de meses de intenso trabalho em busca de traduzir em poucas palavras os valores que impulsionam a Coimma, foi este: Propósito: Contribuir para a evolução da pecuária, estimulando as boas práticas na atividade, oferecendo soluções inovadoras que gerem valor e garantam eficiência, segurança e bem-estar. Princípios: ·         Contribuímos para a geração de riqueza do nosso negócio, aumentando a produtividade dos nossos clientes, compartilhando os resultados com os nossos e devolvendo para a sociedade parte do valor que geramos. ·         Temos foco em resultados e valorizamos atitudes proativas ·         Aprendemos com os nossos erros assumindo-os como parte da nossa cultura de inovação. ·         Somos movidos por nossos clientes, oferecendo soluções que efetivamente impactem seus negócios de forma responsável e sustentável. ·         Investimos no desenvolvimento do nosso time e buscamos criar um ambiente onde todos desejam estar ·         Gostamos de gente com senso de responsabilidade e doação, comprometidas com a nossa causa e que abracem os desafios. ·         Desejamos melhorar o diálogo franco em todos os níveis com comunicação positiva, respeito e gentileza.   Com quase sete décadas de atuação no agronegócio, a Coimma se consolidou no mercado latino-americano como uma das principais marcas de troncos e balanças para bovinos, em função da alta qualidade dos produtos oferecidos e da eficiência dos mesmos em solucionar problemas dos pecuaristas. Tudo isso, só foi possível devido à visão de futuro que a empresa carrega em seu DNA e a sua capacidade de se reinventar, como afirma Maurício Velloso, presidente ASSOCON: “O valor que fez a Coimma ser o que é não foi o culto ao velho nem ao antigo, mas foi a sua capacidade de se reinventar”. Sobre a Coimma Com 68 anos de atuação no mercado da pecuária, a COIMMA sempre foi respeitada pela sua história e tradição em produção de balanças e troncos de contenção. Sua história é marcada pelas contribuições no desenvolvimento da pecuária, reconhecidas por meio de prêmios expressivos ao longo dos anos como, por exemplo, em 2018, quando foi eleita uma das 10 empresas mais inovadoras do país, pela Revista Forbes. Agora, pretende escrever um novo capítulo no qual a inovação e o uso de tecnologia serão protagonistas para promover o desenvolvimento da agropecuária e fortalecer o movimento da pecuária 4.0. Assessoria de Imprensa.          
Médico diz como doença do beijo pode ser evitada no carnaval     Publicado em 13/02/2020 - 07:06 Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro O carnaval começa daqui a oito dias em todo o Brasil. Para brincar com segurança, os foliões devem estar atentos para não pegar mononucleose, conhecida como doença do beijo, cujo risco de infecção cresce nessa época. É uma doença infectocontagiosa, causada por um vírus, de características clínicas brandas, que provocam um quadro de febre, mal-estar com adenomegalias, isto é, gânglios principalmente ao redor do pescoço e dor de garganta. “A doença é causada pelo vírus Epstein-Barr (VEB), de fácil transmissão de pessoa a pessoa. Por isso, ela é conhecida como doença do beijo”, disse hoje (13) o médico da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES), sanitarista Alexandre Chieppe. Esclareceu que, na verdade, a doença não é transmitida pelo beijo em si, mas por contato íntimo com secreções respiratórias de uma pessoa infectada. “É esse contato íntimo que faz a transmissão do vírus que causa a doença” afirmou. O beijo é uma forma de contato íntimo, que facilita a propagação do vírus. A doença é transmitida de maneira semelhante à gripe, ao resfriado comum, pelo contato com secreções de pessoas contaminadas. “E, às vezes, não é só pelo contato direto com secreções. Pode ser pelo contato indireto, através de superfícies contaminadas em que a pessoa coloca a mão, leva a mão à boca, à mucosa dos olhos ou do nariz e aí pode haver infecção”, explicou. Avaliação O médico explicou que a grande maioria das pessoas transmite a mononucleose em sua forma aguda. O grande problema das doenças infectocontagiosas é que, na sua fase inicial, elas são muito semelhantes. Os sintomas clínicos são muito difíceis de serem diferenciados no estágio inicial, explicou Chieppe. Daí a recomendação para que a pessoa procure um serviço de saúde e faça uma avaliação inicial, com acompanhamento médico. “A mononucleose não é uma doença grave, na maioria das vezes. Mas pode ser confundida com outras doenças que podem ser graves”, alertou. Essa doença não costuma ser grave em pessoas que têm o sistema imunológico preparado. Como toda doença de transmissão respiratória, há medidas de precaução que devem ser adotadas, entre as quais, lavar as mãos com frequência, utilizar álcool gel nas mãos, cobrir a boca e o nariz ao espirrar para evitar que as secreções expelidas entrem em contato com o ambiente e evitar locais de grande aglomeração pouco ventilados. “São medidas que ajudam a prevenir as doenças de transmissão respiratória. Obviamente, são aliadas. Junto a isso, uma vez com os sintomas da doença, a pessoa deve procurar ajuda médica até para poder descartar doenças mais graves”, sugeriu o médico. Riscos Ele observou que carnaval sempre existiu, da mesma forma que mononucleose. Por isso, no meio da euforia, cada pessoa deve avaliar o risco, sabendo que as doenças respiratórias podem ser transmitidas pelo contato íntimo. A dica é que cada um tome a sua decisão informado dos riscos e das possibilidades de transmissão de doença. “Mas que aproveite o carnaval com os cuidados necessários, de modo a evitar doenças de transmissão respiratória e outras doenças sexualmente transmissíveis, como HIV (sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana), sífilis e as hepatites virais transmitidas por contato sexual” disse. Chieppe afirmou, ainda, ser recomendável que utensílios de uso pessoal, como pratos, talheres e copos não sejam compartilhados com outras pessoas. A razão para isso é que muitas das doenças infectocontagiosas podem ser transmitidas, inclusive, por pessoas que, às vezes, não apresentam sintomas de doença nenhuma. Daí a sugestão para, sempre que possível, evitar compartilhamento de objetos pessoais com amigos e com o maior número de pessoas. “Isso, obviamente, aumenta o risco de transmissão de doenças infectocontagiosas”, concluiu o sanitarista. Já a infectologista Flávia Cunha Gomide afirmou que os sintomas da doença costumam perdurar de duas a quatro semanas. Esclareceu que "não há um tratamento específico para a doença do beijo. Geralmente, são indicados repouso e medicamentos que amenizam os sintomas". Segundo a médica, ter hábitos saudáveis, fazer exercícios, boa alimentação e horas adequadas de sono aumentam a resistência do folião para se defender contra infecções no carnaval. Edição: Kleber Sampaio