Dracena, Domingo - 24 de Março de 2019

Foi muito rápido', diz mãe de menino que morreu picado por escorpião

Simon Davi Otellado Gomes foi levado até a Santa Casa de Votuporanga (SP), mas não resistiu ao veneno do animal. Garoto brincava com um gato da família, quando o animal entrou debaixo da cama e ele foi picado.

Por G1S

imon Davi Otellado Gomes morreu ao ser picado por escorpião — Foto: Arquivo Pessoal

A mãe do menino Simon Davi Otellado Gomes, de 8 anos, que morreu picado por escorpiãoem Votuporanga (SP), afirma que chegou a ver o escorpião saindo debaixo da cama e que o incidente foi muito rápido.

De acordo com a dona de casa Era Simona, que é paraguaia e mora com a família no interior de São Paulo, o filho estava brincando com um dos gatos da família, quando o animal entrou debaixo da cama. O menino foi tentar pegá-lo, mas acabou sendo picado pelo escorpião.

“Simon estava brincando debaixo da cama com os gatinhos. Depois um escorpião saiu debaixo da cama e o gato foi atrás dele. O dedo dele [Simon] já ficou vermelho na hora. Foi tudo muito rápido”, afirma.

A aposentada e vizinha Emiliana Figueiredo Marques, que se considerava como como uma tia para o menino, foi quem prestou socorro. A vizinha diz que levou Simon o mais rápido possível para o pronto-socorro.

 

“Ele chegou chorando em casa. A mãe disse que foi escorpião. Então, peguei a moto, coloquei ele na garupa e corremos para o posto de saúde”, afirma a mulher.

 

O menino morreu na Santa Casa de Votuporanga. De acordo com assessoria do hospital, durante o atendimento ele recebeu todos os medicamentos necessários, inclusive o soro que combate o veneno do escorpião.

A morte foi registrada por parada cardíaca e edema agudo do pulmão. “Ele era muito carinhoso e era uma criança especial”, diz a mãe.

 

Ação

 

Uma equipe do Controle de Zoonoses do município foi até a casa onde Simon morava nesta segunda-feira (11) para tentar encontrar mais bichos.

De acordo com a Secretaria de Saúde, um trabalho de orientação foi feito nessa mesma área no início do ano. Por causa da morte, um novo trabalho será feito no bairro.

“A região foi trabalhada no mês de janeiro. As orientações são feitas todos os dias na unidade de saúde. Sempre que ocorre notificação de casos de escorpião, mesmo sem morte, a visita na residência é feita”, diz a secretária Márcia Cristina do lrado Reina.

IMAGENS