Dracena, Segunda-Feira - 18 de Dezembro de 2017

Casamento: como mantê-lo nos tempos difíceis?

Estamos vivendo numa época em que muitos casais lutam para manter seus empregos, suas casas, e seus casamentos. Esses são os momentos em que temos de agarrar-nos um ao outro com uma força grandiosa. Os tempos difíceis passarão, as coisas irão melhorar. Tudo o que temos a fazer é nos manter firmes e seguir em frente juntos.Muitos anos atrás, compramos uma pequena placa de madeira que achávamos muito engraçada.Nós ainda a temos, e ela tomou um novo significado várias vezes ao longo da nossa vida juntos. Ela serve como um lembrete bem-humorado de que atravessamos algumas tempestades muito difíceis, e que faremos o melhor para continuarmos assim.Haverá momentos difíceis na vida de cada casal. Estes tempos podem aproximá-los ou partir seus corações. Se determinarem a si próprios que estão comprometidos um com o outro e com seu casamento, não importam os acontecimentos, não haverá evento difícil algum que o destruirá. A única verdadeira tragédia é um casamento perdido e uma família desfeita.Aqui estão algumas sugestões para ajudar a passar por tempos difíceis.

Aceite ser confortado, mesmo se você não quiser

Às vezes, quando uma profunda tristeza ou um momento difícil entram em um casamento, um ou outro cônjuge pode colocar uma barreira que destrói a proximidade que desenvolveram. Estresse e tristeza fazem coisas estranhas. Quando você mais precisa de braços amorosos ao seu redor, você pode acabar rejeitando o esforço de seu companheiro em confortar-lhe, e não ser capaz sequer de explicar por que o está rejeitando. Pode ser muito frustrante para a pessoa que está tentando dar esse conforto.

Aceitar abraços e carinho físico

Mesmo que sinta não querer nenhum contato, aceite. O próprio ato de se abrir para um abraço amoroso pode quebrar a barreira e começar a curar um coração partido. Aninhe o outro em seus braços e permita que seu companheiro chore. Se um de vocês não chorar, não critique o que chora, basta manter o abraço, e nunca se acusem mutuamente de indiferença. Abraçar é saudável e traz a cura. É como se a energia do seu companheiro infundisse-lhe forças para continuar, mesmo quando se está em profundo sofrimento.

Cuidem-se

Um notório professor nos contou a história de sua chegada em casa um dia sentindo-se profundamente triste e magoado com o que havia acontecido no trabalho. Ao sentar-se na beira da cama sua esposa lhe perguntou se ele estava bem. Ele sentiu-se incapaz de responder e só conseguia ficar ali sentado e chorar. Sua esposa sentou-se a seu lado segurou-o nos braços, sem dizer uma palavra. Isso foi a melhor coisa que ela poderia ter feito por ele naquele momento. Ele contou: "Eu precisava daquele carinho silencioso." Fortalecer um ao outro com abraços de amor e palavras de esperança abençoa seu casamento e sua família. Lembre-se, as coisas vão melhorar.

Abandonar o seu companheiro quando a vida fica difícil é como jogar fora um diamante valioso antes que tenha sido lapidado para alcançar o seu maior brilho. Segurem-se um ao outro através das estações tempestuosas da vida: Quando o céu clarear, vocês terão uma relação mais radiante e bonita do que jamais imaginaram ser possível - uma relação que nunca poderia ter tido toda a profundidade e beleza sem essa luta. É bom lembrar que "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã." (Salmos 30:5) 

PR JOSUÉ GONÇALVES

 

 

foto:Crianças do Iama durante apresentação no 3º Conselho Distrital, sob a coordenação de Juliana Martinelli (Foto: Divulgação)

 

Há alguns meses, o Lions Clube de Adamantina passou a desenvolverimportante campanha nas entidades assistenciais da cidade. Trata-se de aulasgratuitas de dança e coral com as crianças atendidas pelo Instituto de Assistência ao Menor de Adamantina (Iama).

Segundo o presidente do Lions Clube, Paulo Nakae, as atividades estão sendo realizadas na sede do Iama, com a participação de aproximadamente 80 crianças. “Nosso objetivo é que essas atividades se transformem em projetos permanentes do clube, pois nossa proposta é investir no ser humano desde criança”, destaca Paulo Nakae.

As crianças contam com as orientações da profissional, Juliana Martinelli, proprietária da Oficina da Música, empresa parceria do Lions Clube.

“Com essa campanha pretendemos oferecer atividades diferenciadas às crianças de nossa comunidade, como forma preventiva e assim, contribuir em sua formação, evitando que nossas crianças entrem no mundo das drogas e outras práticas ilícitas”, completa Paulo Nakae.

As atividades são coordenadas pela Comissão de Educação do Lions Clube e tem total apoio da diretoria do Iama.

 

Fonte:PortalRegional

 

 

Pr JOSUE GONÇALVES
 
 

 

"Primeira: Fase do encantamento, quando está enamorado do outro.
Ocorre quando o casal se sente plenamente realizado e absolutamente preenchido pelo outro. Nesta fase o amor é cego. Há uma nutrição constante do vínculo. A sensação é de completude e totalidade.Nesta fase,nenhum dos dois enxergam o "Real",mas sim aquilo que foi idealizado,sonhado,desenhado no tempo de namoro e noivado.Ela o vê como o "príncipe azul",ele a vê como uma "princesa encantadora". Costumo dizer que nesta fase, até o ronco dele soa como sinfonia;ela,mesmo despenteada quando acorda é linda e maravilhosa.É um tempo em que tudo é motivo para poesia. Quanto tempo dura esta fase?Não sabemos, só podemos afirmar que ele passa.
Segunda: Fase do desencantamento, desidealização.
É a fase da confrontação das expectativas irreais do casamento, quando começamos a ver as diferenças entre as imagens que construímos do outro e os seus lados sombrios no cotidiano. Na fase da conquista, da sedução, agente só mostra o lado ensolarado de nossa personalidade.
As sombras, as fraquezas, as feridas emocionais, os medos ficam escondidos. Mas sempre chega o momento em que as coisas que estavam debaixo do tapete aparecem com a luz do dia. É nesta fase que muitas pessoas se desesperam na tentativa de mudar o outro, afim de que ele corresponda à imagem idealizada. Você não aceita como ele é. Neste momento as pessoas são capazes de qualquer coisa: sufocam,oprimem,chantageiam,ameaçam,castigam-se mutuamente. Quanto o casal é maduro e está aberto para aprender, logo percebe que o casamento é a união de dois seres humanos limitados e imperfeitos que podem crescer e se desenvolver com esta experiência conjugal.Isso faz toda diferença.
Terceira: Fase do "crescei e multiplicai-vos", quando a mulher se dedica aos filhos pequenos o homem está afirmando profissionalmente,consolidando sua carreira 
É a fase onde há o perigo de perder o parceiro de vista dentro do casamento. O homem mergulha no trabalho e a mulher é engolida pelo cuidado com a casa e as crianças e, muitas vezes, também com sua própria definição profissional. Essa tensão drena todas as energias do casal. É uma época onde os dois engavetam frustrações, magoas e raivas do passado. Se o casal nets faze,não buscar em Deus a saída,com certeza o fim será o aprofundamento de emoções negativas que já estavam emergindo no fim da fase do encantamento.
Sendo assim, o relacionamento pode estagnar encalhar e virar uma prisão insuportável. Os momentos de desencantamento são muito dolorosos porque envolvem doses inevitáveis de frigidez emocional. Essa é a hora de buscar ajuda externa 
Quarta: Fase do questionamento e redefinições.
É a fase onde os parceiros questionam o vínculo, fazem um balanço da ligação. Aqui está a grande oportunidade de o casal se libertar dos ressentimentos e frustrações em relação ao cônjuge. Para alcançar essas mudanças implica enfrentar um processo trabalhoso que pode, em compensação, dar lugar a vitoria de Deus na relação, ternura, cuidado com o outro e à identificação. Quando não há esforço e interesse em mudar a situação, o resultado final é o divorcio emocional ou a convivência amarga em um casamento morto.
Quinta: Fase de reintegração quando os filhos já estão adultos e o casal pode descobrir e se apaixonar.
Quando os dois, marido e mulher, conscientes do que significa "Casamento",conseguem superar as fases difíceis e seguir juntos,pode-se chegar a um momento de integração.Podemos dizer que os dois atingiram o equilíbrio entre a individualidade e intimidade.Não existe mais disputa sobre o quanto é meu,quanto é seu quanto é nosso,o que há é companheirismo,compromisso de amizade e comunhão.
É claro que as fases não são rígidas, com tempos definidos e seqüência predeterminada, com uma, necessariamente seguindo a outra.
Mas são momentos que todos os relacionamentos atravessam, com maior ou menor intensidade. Eu chamaria essa fase de estações, primavera, verão, outono e inverno.

 

 

  • Páginas :
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • »
  • Última
  • Publicidade
    © 2013 | Valdomiro Nunes | Todos os Direitos Reservados
    Desenvolvido por: abcRede Telecom